"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



sábado, 12 de fevereiro de 2011

Vingar-se da Vida

Enquanto faço caminhada todas as manhãs no parque aqui próximo à minha casa, costumo pensar em milhares de coisas...Minha cabeça viaja tanto e vai tão longe, buscando sempre universos inimagináveis e caminhos diversos. Revivo passado, presente e futuro tudo ao mesmo tempo no agora e bem consciente, como se estivesse fazendo uma Terapia de Vidas Passadas monitorada pelos seres superiores que estão sempre a me proteger e a me guiar todos os dias.


E ontem, qual não foi a minha surpresa, ao caminhar e de repente me recorrer ao pensamento uma frase dita pelo meu professor da Graduação de Letras ainda, lá pelos idos de 1996 , meu querido e saudosíssimo professor Fábio Teixeira , membro da Academia Mineira de Letras , poeta da maior categoria e um ser humano de caráter irretocável, de espírito e de lucidez incrível, que nos brindava sempre a cada aula com textos maravilhosos e só me fazia apaixonar ainda mais pela poesia, que, naquela época já fervia em minhas veias de modo intenso e forte.

À primeira vista, nosso professor nos parecia um velho rabugento, ele chegou botando banca, fazendo caras e bocas, medindo todo mundo de cima abaixo como se fosse a maior autoridade do planeta, mas aos poucos, íamos percebendo que era só uma fachada, que ele estava fazendo um tipo , bem caricato por sinal, a fim de nos deixar mais à vontade. E sabia fazer isso quando recitava poesias , tanto suas como de outros mestres da escrita que nos encantavam e nos enfeitavam as aulas com imenso sentimento.


Era um ser de uma espirituosidade incrível...Aos poucos nos apaixonávamos por ele e nem tinha como ser diferente, pois, imaginem, um ser iluminado do alto dos seus 80 quase 90 e poucos anos dando aula de Literatura Brasileira e falando de poesia numa turma de Letras, apaixonada pela escrita, pelos poemas e pelo universo do amor ? Não tinha quem não viajasse ali, de olhos abertos, naquele universo que ele descortinava aos nossos olhos nus , como quem descortina as estradas que encaminham ao paraíso, como quem nos apresenta o melhor néctar da vida, como quem nos desenha os caminhos do amor.


E a frase da qual me lembrei ontem, instantaneamente, me remeteu àquela época, colocou-me de volta à primeira carteira onde me sentava todas as noites nos idos de 1996 e ficava me deliciando ali , deslumbrada, a ouvir poesia da mais alta qualidade...Ele nos dizia que já havia trabalhado muito e , naquela época, como estava ali e já havia com a graça de Deus conquistado muitas das coisas com as quais havia sonhado , ele costumava dizer quando mais moço , que um dia iria "vingar-se da vida" , ao que dizíamos : "como assim, professor ?" e ele nos dizia que era com o intuito de trabalhar muito, arduamente , para no futuro , ao ter conquistado tudo o que sonhara, poder se vingar da vida e usufruir dela com todo o merecimento e com a maior qualidade que pudesse ter...Era um vingar-se num sentido positivo , do tipo : vou trabalhar de um tanto e com tanto esmero para que quando a vida me alcançar na maturidade eu possa estar tranquilo, apenas usufruindo o que há de melhor dela , de sua positividade. Ou seja, era um jeito dele dizer que trabalharia imensamente a fim de recolher seus louros, colher seus frutos após anos de dedicação e luta em todos os sentidos.


E lembrei-me ontem, claramente , como quem ouve a um sopro divino , desse "vingar-se da vida" que ele recorrentemente nos repetia e me marcara profundamente com suas palavras. Naquela época nem imaginava quais os rumos minha vida tomaria e, para mim, a delícia do viver resumia-se a escrever poesia, sonhar em amar e ser amada, sem me preocupar com quaisquer outras atribuições da vida que tivessem maior relevância. Meu sentido era o sonho e me encantava sempre viver mais longe da realidade, entremeada por minhas palavras ainda por desabrochar...era só uma menina com vários sonhos que de nada da vida ainda conhecia.

Ao chegar em casa, fui até o Santo Google buscar por meu professor e ver o que a vida havia feito dele, já adivinhando pela resposta... E descobri, que em minha antiga Universidade, há um concurso de poesias, realizado todos os anos, que leva o nome dele e por lá também é que pude perceber que ele já havia se vingado muito da vida e hoje, está desfrutando de outras paragens, nos lares dedicados aos poetas que ficam num andar um pouco mais alto , bem mais na realidade de que nós , os aluados , costumamos desfrutar...
Ele deve estar olhando por nós lá do alto e deve , certamente , ter se lembrado de mim e vindo visitar minhas humildes poesias que há alguns meses voltaram a brotar de minhas mãos e deve ter se lembrado dessa sua aprendiz e discípula que nunca o esqueceu...Onde quer que ele esteja hoje, peço a Deus que o abençoe sempre e que ele continue enfeitando aos céus com suas doces e inesquecíveis palavras.



P.S : Eu e meus Mestres inesquecíveis e memoráveis ....

4 comentários:

Borboleta no Casulo disse...

Ai minha amiga ando pensando tanto nesse Vingar da Vida. Acho que chegou a minha hr de crescer e correr atras do q quero.
E o seu professor está olhando mt por vc lá de cima, pois com esse brilho e talento td jamais irá se esquecer de vc!!!
Bjsss

Albuq disse...

Van, que homemagem linda!

Acredito que professor é um herói eterno, a gente aprende e quer ser igual a ele. Não creio que exista profissão mais linda que essa! bjsss

Dave disse...

Também tenho dessas... e Tenho desses...

Beijo!

Will Lukazi disse...

Que tal vivermos essa P.... toda?

( desculpa van...me escapuliu...rsrs)