"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Há tempos

Há tempos não escrevo e não passeio por aqui... Nessas correrias da louca vida, muitas coisas aconteceram desde a última visita. 
Mas há coisas que não mudam : o coração a espera do amor, a vida que corre por entre os dedos, o tempo que passa por detrás das janelas do carro, do ônibus, do metrô, da casa, a comida que absorvida pela pressa nem se apetece do corpo, o resto do corpo cansado que se deleita ao sofá e dorme profundamente ao fim do dia extenso, das músicas que se ouve entre um intervalo de vida e outro... Sim, porque nossa vida sofre de intervalos, sofre de escassez de um tempo que nunca termina mas que sempre parece insuficiente para tantos deveres. 
E os olhos buscam incansáveis textos, incansáveis enredos para sua trajetória. E os braços que não repousam e estão sempre por se debruçar em cima de possíveis sonhos. A boca que omite todos os seus segredos, daqueles os mais inconfessáveis que permeiam o azul do nosso pensamento. Segredos tão bons, mas que se fossem ditos, talvez, interrompessem o ciclo da vida causando escândalos aos menos incautos. 
Da vida que não muda restam sempre os sonhos, as viagens, os lugares novos e os caminhos que descobrem outros lugares. Outro dia mesmo, mudando uma simples rota acabei por viajar em metros de distância de minha própria casa e vi meu bairro construindo-se completamente outro bem em frente a mim. 
O coração também enfeita-se e molda-se ao compasso de um tempo vasto, solitário, cadenciado. O coração é um vilão alado, vez que sonha loucamente em seu mundo fantasiado e colorido. Reveste-se e enfeita-se de sonhos tão inesperados quanto as histórias que inventa de si mesmo. Por vezes chora, por sentir-se solitário, por vezes reluz e colore-se dos dias mágicos que recebe através dos olhares que o enriquecem. 
E assim, a vida segue, por aqui amigos passam, amigos antigos, novos, se deixam e o caminho é o mesmo, embora a vida, esta, seja outra. Diferente, porém com a mesma intensidade e busca de si mesma. 

4 comentários:

Pérola Irregular disse...

Simplesmente amei seu texto. Realmente, muito bom.
Houve uma época em que me afastei do blog, procurava textos, nada de inspiração vinha a mente. Cheio de trabalhos e estudos na escola, e por "falta de tempo", parava de escrever. Procurava sonhos, amizades, amores, novas histórias. O blog na monotonia e uma confusão na minha cabeça, por todas as pessoas que deixam suas marcas para depois, partir.

Beijos!
http://perolairregulaar.blogspot.com.br

Albuq disse...

Oi Van! A vida segue e nada podemos fazer para segurá-la, apenas vivê-la em sua intensidade.
Amei as imagens, um charme aquela escrivaninha! bjsssssssss

CE disse...

O bom de um blog é que viajando nele percebemos como mudamos, ou como nada mudou! rs Parece um dispositivo, na verdade, e que mostra há quantas vamos.
Agora a Van é como um vinho, só vai melhorando com o tempo na escrita :=)

Beijocas

Daíse disse...

Olá!!!!
Gostei de tudo o que vi aqui: textos, imagens... Aliás, você escreve muito bem!
Voltarei sempre!!!
Beijinhos!!!!