"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Que Viagem...



Ontem, a vida me trouxe um grande presente, aliás, ontem para mim foi um dia e tanto! Acho até que foi para que eu pudesse olhar o que vivi internamente na terça e reparar bem o quanto de vida eu tenho para viver bem além de minhas fronteiras, longe das minhas guerras internas e da minha mente insana que me bota louca de vez em quando...e tudo isso, claro, com as grandes bençãos da lua cheia, linda, redonda, completa...

O sentido disso tudo está no aniversário do primeiro filho da minha melhor amiga (sei que é ruim generalizar, taxar e classificar, e porque não dizer ROTULAR, mas é que não encontro termo melhor para defini-la e deixe que assim seja, então...vamos passar batido pelo termo em questão, ok ?), madrinha de casamento, a pessoa mais especial em milhares de momentos da minha vida. Ela é a pessoa que me conhece desde quando tínhamos apenas 10 anos de idade e eu contava do alto da minha turrice (e chatice) de criança "nerd" e "cdf" como ela mesmo me define ; enquanto ela era a "pop" , a que todos amavam, a que todos idolatravam, a que todos queriam ter como amiga, a que conseguia cabular aulas sem sentir remorso. E do alto de sua bondade e carinho ela me acolheu, teve paciência comigo, ignorava minhas turrices e meus muxoxos e sempre tentava fazer-me entrosar com o resto da turma (isso ela não conseguiu, não, porque nunca fui de andar em turma...mas meu coração ela guardou com ela e traz até hoje !).


Enfim, nesse momento de imensa alegria, pude reencontrar sua família, que também sempre considerei "minha família" porque somos amigas-irmãs e infinitas confidentes, viajantes do mundo, dividimos sempre tudo (uma vez dividimos até o namorado...ai....ai...ai...e sobrevivemos !) . E nesse reencontro mágico pude resgatar uma grande parte de mim lá de trás, que deixei no passado, mas que ainda era eu ! Pude relembrar de histórias com a minha outra amiga (não menos importante e também infinitamente especial, também minha madrinha de casamento) e rimos muito...resgatamos nossas memórias, nossos anseios e desejos de um tempo que ficou para trás mas que permanece ali, registrado na gente, não se apaga nunca.

Uma é publicitária, mas trabalha com a área administrativa e dizia pra gente que nunca queria se casar (foi a primeira das três que casou...haha), nunca iria ter filhos (foi a primeira a ter...haha), nunca iria se apaixonar porque os homens só traem, são sacanas, não levam nada a sério e ela não queria sofrer o que a mãe sofreu, iria ser livre ! A outra , sempre séria e responsável, é advogada e me dá uma força danada quando falo pra ela que vou começar a graduação em Direito, tá doida pra me ver "advogar" e eu já disse pra ela que, sem chance, não é pra isso que vou me graduar, minha carreira vai me direcionar para alguns vôos um pouquinho mais altos (vou me esforçar para isso...) e ela, que casou antes de mim, ainda não tem filhos (como eu), só viaja também ! Disse que vai começar primeiro criando um gato, para depois partir para o filho...será  que isso dá certo ? E eu no meio delas, era a que aconselhava, a que dava o ombro para que elas chorassem, a que emprestava o ouvido no meio da noite para os desabafos das intempéries amorosas , era eu quem confortava e nunca queria ir à balada todo final de semana . Elas me diziam que desse jeito eu iria ficar "pra titia" (estou "Titia" hoje porque tenho três sobrinhos , lindos e ainda não tive filhos, mas me casei...rsrsrs) , pagaram a língua, porque mesmo sempre sendo a "boa moça" (nem tanto...) eu curtia, tinha meus flertes e, naquela época ainda nem usávamos isso de "ficar" , paquerávamos, saíamos, beijávamos algumas vezes e sonhávamos sempre muuuuuuuiiiito com o tal do "príncipe encantado". Tanto eu não gostava de balada que o "meu principe" eu não encontrei na balada (se dependesse disso para encontrá-lo, tava ferrada, porque ele, assim como eu, não era adepto às noitadas...gostava mais de curtir suas coisas sozinho, mas nunca chegou a ser um rebelde sem causa).


Na hora do fatídico "parabéns à você" , minha cabeça ia muito mais longe do que imaginar o gostinho do brigadeiro derretendo suavemente pela boca...passou um filme inteirinho da minha vida, de tudo o que sonhava em ser até chegar ali naquele instante, daquelas pessoas, do quanto éramos diferentes naqueles momentos mas a essência sempre permaneceu a mesma ! Do quanto ainda íamos viver sem imaginar onde íamos chegar, do quanto a vida muda, os anos que passam muito depressa e envelhecemos sem nos dar conta disso, mas a alma sempre permite que mantenhamos nossos sonhos acesos, nossos destinos incertos e nosso futuro a ser escrito a cada novo capítulo !


E é por essas e outras coisas que eu acho a vida tão linda e mágica e sempre aprendo mais, a cada instante. Carpe Diem...

6 comentários:

O Divã Dellas disse...

Sabe qual é o barato de tudo isso? Ter a sensibilidade de absorver coisas que acabam passando despercebidas aos olhos dos desavisados. Esses pequenos presentes que tornam a vida melhor.
proveite o dia!

Verônica

San disse...

Não é que amoooooooooooo um brigadeiro??? !! E amei seu blog tambem bjs

CARLA STOPA disse...

E vivamos dia a dia...Carpe Diem...

Borboleta no Casulo disse...

É isso que nos motiva sempre, que nos leva a frente cada vez mais...A AMIZADE!!
Mesmo de longe, virtuais, reais e presentes elas que me motivam sempre, elas que me acolhem e me ajudão sempre. Eu não sei o que seria de mim sem meus amigos, seja lá quais forem ou onde estiverem, eu não seria nd sem eles e não teria metade de história p contar!!
Bjs amigaaa

R;* disse...

Isso que você contou parece aqueles filmes que as personagens relembram o passado, passando cena por cena! É tão lindo ver amizades assim, que duram desde a infância até...
Desejo muito que as minhas sejam assim também! mas isso só o tempo vai dizer!
beeijo ;*

ps. desculpa pela sumida do blog, no final do semestre, milhares de coisas pra estudar e um monte de prova! Minhas ferias estão chegando e volto com as minhas visitas mais regulares ;D

Will Lukazi disse...

Aproveite o dia minha amiga...aproveite o dia enquanto eu degusto este seu lindo texto ...e o brigadeiro tbm...rsrsr.....


Bjussss