"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Além da Hermenêutica

No segundo semestre do ano passado , só havia uma única matéria que me intrigava e que mesmo antes de conhecê-la ela já fazia parte do meu imaginário devido aos comentários que iam surgindo : a tal da "Hermenêutica Jurídica". Fosse pelo fato do professor de Introdução ao Estudo do Direito comentar muito sobre ela e sobre seu professor , amigo dele e companheiro de livros que vão compondo a nossa jornada jurídica e fosse pelo fato também de ela me parecer uma matéria bastante interessante diante dos esboços que se iam desenhando para mim ao desenrolar das situações.
Estudar (e muuuuuuuito) é o segredo !
Pois bem , antes mesmo de alcançar o segundo semestre eu já havia conseguido , com uma amiga de outro semestre já mais adiantado , o livro utilizado por essa disciplina e que veio a me causar muito desassossego quando dele comecei a desfrutar. O livro chama-se "Hermenêutica Jurídica em Crise" de Lenio Luiz Streck , a meu ver , uma das maiores cabeças jurídicas da atualidade , avançado e atualizado diante do que se desenha realmente e situacionalmente em nosso país em todos os sentidos.
O resultado disso foi que eu me encantei demais pela matéria antes mesmo de conhecê-la e , nas primeiras aulas que tive , o que percebia era de que eu não sabia ainda absolutamente nada sobre o mundo jurídico , sobre as leis , sobre a interpretação das leis (continuo a me permitir ainda não saber tanto , porque é bem mais prazerosa a posição de eterno aprendiz e só ela nos dá a oportunidade de nunca deixarmos de aprender) e quanto mais eu lia , mais aprendia e mais queria aprender e saber e entender... e assim foi !  
Só que aluno de graduação é um bicho muito complicado e , obviamente , nos concentramos muito quando começamos a pensar em notas e em provas , pelo menos eu , na condição de "nerd inveterada" sou assim. E conversando com outros alunos , de outros semestres (pasmem ! a sala era repleta de alunos de DP e Adaptação ! e isso me causava um certo receio...) a respeito da metodologia do professor e da relação dele com as provas , eles eram unânimes em dizer que a prova era extremamente difícil (e eu nunca duvidei disso !) e que choviam notas baixas (começava a entender então a razão das sucessivas DP´s...). Para não ser pega de surpresa e nem sofrer com tais consequências , o que fiz , imediatamente de posse de tais informações foi mergulhar minha cabeça nos estudos e começar "a tirar leite de pedra" para conseguir aprender tudo sozinha , em casa , debruçada nos livros no tempo que tinha disponível.
E isso me logrou um resultado de muito boas notas , inclusive durante os seminários dos livros , em que cada grupo expunha sobre um capítulo e nós discutíamos algumas questões. O professor , meu hoje querido mestre , Vitor Kümpel , elaborou questões sobre cada capítulo do livro e estas também cairiam aleatoriamente na prova e o que pensei em fazer e que acabou dando certo como estratégia foi de me debruçar sobre cada uma delas e respondê-las , uma a uma , para melhor absorver as ideias de Lenio Streck sem medo de fazer a prova quando esta chegasse a seu tempo.
Eu acredito ! Uma vaga é minha !
E me lembrei disso a semana passada , enquanto estudava solitariamente nessa minha tarefa árdua de todos os dias de dedicação aos concursos públicos , que só quando me antecipei e para evitar maiores supresas me dediquei à Hermenêutica Jurídica foi que pude enfrentá-la tranquilamente ao longo do semestre , sem surpresas e sem sustos , logrando grande êxito ao final com minhas notas mais do que satisfatórias e com o conhecimento solidificado aqui dentro como deve ser. E é o que venho , desde então , tentando aplicar a esse mundo concorrido das provas de concurso , me dedicando de modo exaustivo aos estudos , dando o sangue e querendo , obviamente , alcançar o êxito ao final passando na prova e garantindo uma vaga. Acredito que depois de desenhar todo esse quadro , estou mesmo no caminho certo : o DOM para passar necessário aos concurseiros , nada mais é do que - Disciplina , Organização e Método e é o que procuro ter a cada dia mais. Vamos que vamos !

Um comentário: