"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

É Crise ? Re - Crie - se...

Nos momentos em que o mundo despenca sobre nossas cabeças é preciso parar, respirar e olhar a volta antes de seguir em frente e, geralmente esses momentos são aqueles em que denominamos por "crise" e eles, inevitavelmente acontecem, disparados por algum incidente em nossas vidas ou sem nenhum motivo aparente... E vai muito além do que apenas trocar o "s" de lugar...tem a ver com quebra, rompimentos, mudanças profundas.


Quando estava no limbo, entre os vinte e oito para os vinte nove anos, o meu momento mais grave de crise se instalou e eu pensei que ia surtar de vez. Pensei que toda a loucura guardada e trancada aqui dentro à sete chaves iria explodir e me implodir com força total. Não entendia o que acontecia, mas era uma sucessão de fatos e de desassossego que me atolava e cada dia que passava só aumentava, só me corroia mais aquela sensação de "não sei quê..." que a vida insistia em me tomar.
Foi aí que, em minha curiosidade de querer saber sempre tudo ao mesmo tempo agora me levou para um mergulho mais profundo em mim mesma e também para a busca de uma resposta a tudo o que me ia na alma naquele redemoinho imenso que tomava conta de mim e dos meus dias aparentemente normais.


Só não fiz exorcismo e nem sessão de descarrego, mas apelei para as mais variadas filosofias e os mais diversos estudos esotéricos (com "s") para achar minhas respostas e todos, invariavelmente todos, apontavam para a CRISE que nos acomete aos vinte e nove, ou o retorno de Saturno pela Astrologia, ou o fim do primeiro ciclo de vida na Numerologia, ou a entrada à vida Balzaquiana como preferirem os mais intelectuais...Até o Renato Russo me deu a explicação em sua música Vinte e Nove que só pude compreender quando passei pela fatídica experiência de provar-me em meu mel e em meu azedume, em minha ciência e minha inconstância e até que depois que compreendi tudo o caos instalado me pareceu bem mais suave, só queria que tivessem me avisado antes que isso me aconteceria....porque dói pra burro descobrir sozinha ! A mais forte de todas se dá aos vinte e nove, mas outras , em menor grau, acabam sempre nos sucedendo pelo caminho porque fazem parte do nosso crescimento, do rompimento do casulo (né, Borboleta ?).
É tudo junto ali na hora, a gente quer ficar sozinha mas quer companhia, a gente se acha linda mas depois se fecha por se sentir horrível, a gente chora muito, a gente ri desembestadamente, a gente sangra a alma, a gente acha que ninguém entende a gente, a gente acha que tá surtando por ter deixado a adolescência para trás, a gente não quer que ninguém diga nada mas também se ninguém diz a gente se sente desprotegida e sozinha....ahhhhhhhh, dava vontade de gritar a toda hora, de sair do corpo e viajar pra outro canto, bem longe e não voltar nunca mais. Para nós mulheres parece uma TPM que não acaba nunca elevada a quinta potência, sabe assim ? Então...e vai acumulando com os dias que passam.


Mas foi também quando pude parar e olhar toda a minha vida, olhei com os olhos de quem via de fora e assistia a tudo como num filme de ficção e encaixava cada personagem em seu devido lugar...Me questionava muito, soltava meus bichos mais medonhos e eles me olhavam, botavam o dedo na minha cara e gritavam comigo e eu ali, olhando tudo e anotando para depois tirar minhas conclusões.
Depois da turbulência máxima me recompus, refiz a maquiagem (não botei salto porque não tenho a destreza de me equilibrar em um deles...rs), arrumei a casa, fiz minha mala, dei tchau ao que não me servia mais e comecei a me recriar e a me reinventar (e não parei mais desde então...me recrio e me encontro todos os dias...) e foi aí que descobri o que não mais queria ser, descobri quem eu queria ter do lado, quem me queria de verdade e a quem eu queria , descobri quem eu era e me declarei para mim, me perdoei de muitas coisas, me absolvi de alguns pecados apenas pelo simples fato de ser humana e descobri ainda , mais vividamente, que tudo aquilo que semeamos o mundo nos devolve ali mais adiante e desde então decidi que só iria plantar coisas boas, só iria distribuir amor, para que no futuro tudo o que o mundo venha a depositar em minha conta seja nada além disso : amor sempre. É tudo o que vou querer sempre de volta pra mim !


Vinte e Nove  - Legião Urbana

Perdi vinte em vinte e nove amizades
Por conta de uma pedra em minhas mãos
Me embriaguei morrendo vinte e nove vezes
Estou aprendendo a viver sem você

(Já que você não me quer mais)

Passei vinte e nove meses num navio
E vinte e nove dias na prisão
E aos vinte e nove, com o retorno de Saturno
Decidi começar a viver.

Quando você deixou de me amar
Aprendi a perdoar
E a pedir perdão.
(E vinte e nove anjos me saudaram
E tive vinte e nove amigos outra vez)





8 comentários:

O Divã Dellas disse...

"Jurei mentiras e sigo sozinha.
Assumo os pecados."
É Van... Não é nada fácil.
E estou descobrindo uma dessas na passagem dos 34 para 35!!!
Ufa!
Vamos enfrentando!
Beijos,
Cinthya

RAFAEL disse...

Van, obrigado por sua visita..pelas palavras carinhosas que deixou pra mim...volte sempre.

Vou olhar seu espaço e volto com mais comentarios...

beijão..

Dave disse...

As pessoas se preocupam tanto com as crises externas de duas cidades, bairros, estados, países e afins, mas esquecem da crise principal: A própria e interior.

Adoro essa música da Legião, diz muito pra mim...

Beijo!

Albuq disse...

Preciso rever meus contextos de crise! bjsss

Borboleta no Casulo disse...

E eu descobrindo do isso td dos 22 para os 23!!
Mas sabe, por mais dolorosa, complicada e lenta que tem sido tenho gostado mt disso td, além de estar me conhecendo melhor tenho conhecido pessoas sensacionais como vc que tem me ajudado mt nessa luta td!
Bjsss

Leandro disse...

Olá Senhorita Van,

De antemão peço desculpas pela demora em responder, é que os últimos tempos andam meio assim como qualquer coisa que beire o descontrole. Mais uma vez obrigado pela atenção, realmente não sei se a mereço.

A respeito do seu segundo comentário. Não há propósito mesmo, eu sou só uma pessoa que joga pedras, nada me pertence no final. E o excesso de vida... Pode ser que do seu lado assim seja mas, aqui outros processos acontecem que são mais uma remorte da morte necessária e assim vai pra que a cada minuto me sinta novo e nu outra vez como a criança deixada ao bosque para o lobo faminto. E quando ele vem, eu sou o fantasma que ronda o escombros não do que foi mas, do que poderia ser.

A vida é na verdade sobrevida, porque em tempos como os nossos entre homens só se pode sobreviver. E o êxtase deve ser inventado, vestido a ouro e seda ou como no meu caso, violentado ao ápice de sua resistência pra que o perfume da castidade perdida incite a libido alheia e possamos nós, outra vez nos reencontrar no labirinto abandonado de minos.

Se for do seu agrado, pode me adicionar no MSN, lá é possível conversar mais vezes orpheu999@hotmail.com

Boa noite, boa noite, boa noite.

Will Lukazi disse...

Delícia de ler esse seu post Van...
tem coisas na vida que não tem jeito: nós vamos descobrir sozinhos. Me lembro da frase do grande Pablo Neruda ''Algum dia em qualquer parte, em qualquer lugar indefectivelmente te encontrarás a ti mesmo, e essa, só essa, pode ser a mais feliz ou a mais amarga de tuas horas''. É a mais pura verdade !

Você não podia colocar outra canção aí que não fosse essa do Renato...perfeita e a qual já cantei muitas vezes aos brados nessa minha vida.

O Mundo e a vida é um movimento absurdo de coisas, visíveis e invisíveis e nos estamos no meio dessa confusão toda sempre tendo que deixar tudo em na mais perfeita ordem...

Te deixo um trecho do poema de Guimarães Rosa no ''Grande SERTÃO VEREDAS''

É ASSIM : ''O correr da vida embrulha tudo,
a vida é assim: esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa,
sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem.
O que Deus quer é ver a gente
aprendendo a ser capaz
de ficar alegre a mais,
no meio da alegria,
e inda mais alegre
ainda no meio da tristeza''!


É isso aí Van...um grande bj

Amélie Poulain disse...

Passei por esse momento.
"Aprendi a perdoar, e a pedir perdão..."

Legião me salvou tantas e tantas vezes...

E agora, nessa volta [sim, eu voltei!] foi meu amado Renato Russo que foi lá no limbo me buscar!!

Espero continuar por aqui por mais um bom tempo, antes da proxima crise...

Beijo!!!!

Obrigada por tudo!
Por todas as palavras e por toda a força!!