"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Eu...Por mim mesma...

Nasci em São Paulo nos idos de 1976...num tempo em que os anos 80 se preparavam para invadir a pista e dominar geral uma década entremeada de transformações e que até hoje traz muitas saudades...Meu pai veio do nordeste, ainda jovem, com meus avós e com meu tio, para tentar uma vida melhor na cidade grande e, São Paulo era e é até hoje, para muita gente, um oásis de oportunidades. Encontrou-se com minha mãe nos altos da Vila Maria quando, ainda jovens, no colégio, iniciaram sua história e projetaram minha vida a partir de então...
Meu irmão sempre diz que fui privilegiada e, como ele nasceu nove anos antes de mim, disse que, quando eu nasci, nossa família já tinha uma vida melhor do que quando ele nasceu...o que é bem verdade, porque quando ele nasceu eles ainda não tinham televisão, não tinham carro e quando iam à feira era no carrinho dele que se depositavam as frutas e as verduras com ele revirando tudo com os pezinhos pelo meio...rs...
Pedi à minha mãe que me colocasse no balé mas não fiquei nem dois dias, porque a professora para me alongar veio sentando nas minhas costas e me dizia que eu era muito desajeitada, que precisava ter postura de bailarina...era meio general ela e eu me irritei e nunca mais voltei às aulas...Me vinguei depois quando cresci e fui dançar Flamenco, aí sim...aí me encontrei com a vibração da música cigana, da sua força e intensidade... Talvez o balé fosse algo muito além da minha suavidade.


Mas eu me lembro muito bem do meu avô querido, por parte de pai, que era quem me ensinava todas as coisas do mundo , eu era o "xodó" dele e ele me ensinou a ler as primeiras palavrinhas antes mesmo de eu entrar na escola, me ensinava a fazer contas, me ensinou a paixão pela música e foi o responsável pelo início da minha incursão ao mundo das letras e dos livros, sempre com uma história a me contar.
Durante a infância sempre fui uma criança tímida, na minha, adorava inventar e brincar com meus amigos imaginários e, com minhas amigas, de vez em quando, brincávamos de escolinha e eu era sempre a professora rabugenta, que brigava com as alunas e dava castigos quando elas não faziam suas lições ou escreviam errado...Também gostava de brincar de apresentadora de jornal e inventava minhas notícias, me colocava atrás da minha escrivaninha do alto dos meus sete anos de idade e narrava os fatos acontecidos para as minhas bonecas e minha vó , que muitas vezes era minha única telespectadora de carne e osso (e fã!...rsrsrs).
Quando estava no ginásio lembro-me de ter escrito , aliás, ter feito um trabalho sobre poesia e literatura e só o que me lembro é que toda minha família (meu irmão estupefato...incrédulo...) questionou sobre aquele escrito ter sido feito por mim, do alto dos meus doze anos de idade com uma destreza digna dos literatos e eu, singelamente dizia que sim, que havia feito, que não tinha copiado de nenhum lugar, apenas do meu mundo das ideias e não entendia qual era a surpresa deles, para mim era só mais um texto. E daí não parei mais de escrever, escrevia letras de músicas (ridículas , na verdade), escrevia redações e outros textos, me arriscava nas poesias e sempre lia muito, adorava as aulas de redação e todo mundo da classe odiava, adorava as aulas de interpretação de texto, as de gramática sempre odiei, deixavam o português com cara de matemática, classificavam as orações, os verbos, os adjetivos (p...coisa chata) , credo...melhor nem comentar, odeio até hoje...urghhh !


Daí chegou a hora de optar pela faculdade e eu nem tinha ideia do que fazer porque queria ser escritora, mas não há nenhuma faculdade que dê o diploma de escritor...a que chegava mais perto era Letras, mas ainda assim só na teoria e foi na qual embarquei...de pé, cabeça, alma e coração...e não me arrependo, a não ser quando penso que a Psicologia sempre piscou para o meu coração mas eu nunca tive coragem de mergulhar mais fundo, só agora que a deixo em meus planos de futuro e sei que vou realizá-la muito em breve. E na faculdade de Letras era a mesma coisa : amava as poesias, a literatura, os textos e odiava a tal da gramática, mas tive de aprender a conviver com ela, afinal foram quatro anos a fio...ainda hoje não sei lidar muito bem e, de vez em quando ela me dá alguns "paus" nas provas de concurso, o que me deixa ainda com mais raiva dela.
Em resumo , sou uma pessoa que sonha muito e atravessa a vida assim, de nuvem em nuvem, sempre com os dois pés fora do chão e as pessoas à minha volta é que costumam me resgatar do ar e me trazer à realidade. Meu marido, por exemplo, é uma dessas pessoas e , se não fosse ele...hum...nem sei o que seria de mim...ele mesmo disse essa semana (e eu ri muito) , disse que quando eu visto as "minhas asinhas" e saio por aí ninguém me segura, até eu trombar com a realidade e despencar do sonho...verdade que eu tenho me esborrachado no chão algumas vezes, mas sempre me levanto de novo, sacudo as asas e sigo em frente, sem esmorecer.


Sou ariana, teimosa, persistente, cheia de vida, sincera...se tenho algo a dizer eu digo, não importa como, mas digo , não mando recado...se tiver de fazer algo , faço, não costumo pedir...a alegria emana de mim na maior parte do tempo e o desânimo quando chega, entra, senta um pouquinho mas não demora muito tempo, não...passa logo. Otimista por convicção, acredito que tudo vai dar certo sempre, para mim e para todos aqueles que me acompanham e rezo sempre por isso. Tenho minha fé, minhas crenças e sou fiel ao que acredito, ao que sonho, sendo que o maior dos meus sonhos é o de ser feliz e isso eu já sou e sei que ainda serei muito mais e também farei muita gente feliz por onde puder passar...essa é minha meta : espalhar amor , alegria e fazer com que as pessoas descubram a infinitude do amor e que passem a deixar reiná-lo em suas vidas, pois , somente ao semearmos o amor é que alcançaremos os maiores propósitos de nossa evolução.
Tenho em mim todas as cores, trago em meu coração todas as palavras e é por elas que me faço desenhar e me descrevo, algumas vezes em prosa, outras vezes em verso e quero, com minhas atitudes poder semear a minha essência pelo mundo e contagiar a todos com minha energia , pois a vida para mim é isso : viver todos os dias de uma forma imensa e intensa em todos os seus segundos e agradecer sempre a todas as dádivas que usufruimos e que nunca notamos, pois, são as que temos todos os dias e acabam por nos passarem despercebidas , ocultas por nossas nuvens de ilusão.
A vida é mesmo linda, basta olhar em volta e ver , ouvir cada gota de Deus que se espalha pela natureza, em cada folha, em cada fruto, em cada amanhecer e anoitecer, em cada vida que nasce, em cada coração que pulsa, em cada amor que desabrocha.

5 comentários:

CARLA STOPA disse...

É a vida...É bonita e é bonita...Beijos...

O Divã Dellas disse...

Nasci em 1976.
Sou ariana.
Cursei Letras (mas não concluí).
Adoro Psicologia.
kkkkkkkkkkkkkkkkkk
Ops... Esse texto fala sobre quem mesmo????
E haja afinidade!
Beijão, Van.
Cinthya

Albuq disse...

Ess vida é mesmo encantadora!

Eu adoro letras, mas, faço história. Depois vou cursar Letras só por paixão!

Borboleta no Casulo disse...

Menina tb fiz balé e tb sai na primeira semana por não levar jeito. Tive altos amigos imaginários e adoravaaaa brincar sozinha rs. Quem sabe um dia estudaremos Psicologia juntas heim?! rs
Bjs

Will Lukazi disse...

Van por Van...rsrs....gostei...

Obrigado por ter dividido com nós a sua biografia. ta vendo a vida é mesmo um emaranhado de coisas pequenas chamadas detalhes que acabam formando coisas maiores.

Um dia ainda vou te entrevistar ...rrsrs.....


bj van........