"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



sábado, 5 de março de 2011

O devido valor ao Amor

O que venho falar hoje aqui advém da minha própria experiência em relação ao Amor.

Muitas pessoas , quando amam , esquecem-se do outro que mora junto com elas dentro da relação. Explico.


O outro , geralmente , é aquele que ama , é aquele que faz tudo , que enobrece , que olha com ternura , que acalenta , que admira , que faz as vezes do amor dentro de um relacionamento. É aquele que se dá sem cobrar afeto ou reciprocidade , é aquele que tem uma intensidade e uma imensidão desmedidas quando ama e é capaz de suplantar todos os maiores defeitos do amado em prol de uma relação feliz , sabendo perdoá-lo tantas e quantas vezes forem necessárias para que esse sentimento possa sobreviver. Só que ambos : amado e ser amante , esquecem-se plenamente de que o amor não é uma via de um lado único , é uma via de mão dupla e ambos devem estabelecer trocas e reciprocidades em tempo a fim de que ajustem seus ponteiros, suas diferenças , suas destemperanças. A fim de que , ainda enquanto haja sentimento , a relação possa ser melhor dosada , melhor experimentada por ambas as partes.

Porque se não ocorrer essa troca , se não ocorrer esse equilíbrio , o Amor passa a morrer de um dos lados e morre mesmo, chega ao fim, por mais bela , bonita , real e intensa que tenha sido uma história e aí poderemos esgotar o prazo de validade desse relacionamento , a partir do momento em que um alimenta , se dá , se doa , enquanto o outro apenas quer o melhor para si mas se esquece completamente de retribuir a esse melhor que o outro lhe dá... E aí o Amor se encerra.


Ao se encerrar um Amor assim , o outro , aquele que recebia o melhor , que sempre ficava com o lado bom do Amor e do Amar não entende porque aquele amado de antes não quer mais permanecer na relação , não quer mais continuar com algo que não lhe alimentava , não lhe supria e fica buscando eternas explicações e considerações de onde só tiramos o óbvio , tiramos aquilo que ele não quer enxergar.

 

Não isentemos aquele ser amante de culpa , porque ele também dispõe de uma certa culpa por não ter tentado fazer o outro enxergar suas enormes faltas , talvez por medo de não mostrar seu "dark side" , não querer nunca magoar o outro e querer manter-se na posição de vítima ou de muito boa pessoa , sei lá... Ambos erraram se o Amor chegou ao fim... Mas o que resta agora é aceitar !

E, mais que tudo , que venham novos amores para ambos, enquanto há tempo e que essas falhas não mais se repitam , que ambos saibam curar suas dores , rever seus conceitos e aprimorar seus relacionamentos a qualquer tempo para que sobrevivam e sejam sempre plenos de afeto. E durem o quanto tenham de durar porque o Amor é assim, não há tempo certo nem de acontecer e muito menos de permanecer, ele simplesmente É , surge e basta.

Um comentário:

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog "relacionamento, vida e cotidiano". Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/