"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



segunda-feira, 28 de março de 2011

Profundidade

Ao buscar no dicionário temos como significado de Profundidade : s.f. Distância do fundo à borda, à superfície: profundidade de um rio.Uma das três dimensões de um sólido.Fig. Caráter ou qualidade do que é profundo, complexo, difícil de entender: profundidade de idéias. E atrelamos aí também o significado de Profundo adj. Muito fundo; que tem o fundo longe da borda, da entrada .Fig. Grande, vasto.


O que vemos hoje em dia é que costumamos deixar as coisas , todas elas em sua grande maioria à borda , sem levarmos em consideração a profundidade delas. Agimos assim em tudo : nos relacionamentos , nos compromissos profissionais , nas amizades , nos estudos , no que buscamos , na vida inteira. Ficamos à margem como se desse modo pudéssemos absorver melhor os resultados , como se assim conseguíssemos atingir em maior grau nossos objetivos. É como se passássemos de raspão pela vida sem em nada nela nos adentrarmos para descobrirmos sua essência.


Tudo é baseado na superficialidade , no frugal , no efêmero , no que passa por nós. Talvez seja um resultado da era da informação , em que somos bombardeados por tantos conteúdos que necessitamos de um sem número de outras coisas para darmos conta de outras tantas... Não sei ao certo , o que sei é que , muitas vezes a razão por optarmos por uma vida à margem é o medo do comprometimento , da entrega necessária , do envolvimento verdadeiro.


Com isso , nos manter à distância é mais seguro , é mais propício , é mais inteligente. Porque nos mantendo à beira da vida podemos saltar dela quando não for mais do nosso interesse em seguir , em continuar dando os mesmos passos ou percorrendo os mesmos caminhos. Até que ponto você pode se permitir ? Até onde você costuma ir nas suas questões , quaisquer que sejam elas ? Você é capaz de abraçar uma causa específica de corpo e alma e envolver-se com ela ? E no relacionamento , você busca conhecer profundamente a pessoa com quem está ou prefere algo bem na borda para observar de longe e quando se cansar poder correr rapidamente e mudar de destinatário ? Até quando e quanto você se compromete com seus resultados de modo verdadeiro , inteiro ?



Dessas inquietações me revisto hoje e vou procurar refletir mais sobre esse assunto e ver realmente até que ponto ando me envolvendo verdadeiramente em minhas questões. Não sei nadar e concordo que o raso para mim seja aparentemente mais seguro. Mas percebo que em muitas coisas de minha vida costumo me jogar de cabeça e alcançar certa profundidade. Porque para alguns assuntos é a profundidade que me dá o sabor , que tempera e que faz emanar o melhor de mim. Muitas vezes o que é raso não me satisfaz e por isso busco ir mais além e me entrego em muitas causas de modo profundo mesmo que depois tenha de submergir. E o mergulho invariavelmente é de cabeça.

3 comentários:

O Divã Dellas disse...

Eu também não sei nadar...
Mas sei ir fundo em mim mesma e sei ir fundo no outro também. Normalmente eu conheço profundamente as pessoas que se relacionam comigo, por isso quase nunca elas me decepcionam significativamente. Eu sei até onde elas podem ir eo que esperar delas.
Beijo grande,
Cinthya

http://odivaadellas.blogspot.com

dear sarah disse...

Você simplesmente arrasa!
Por isso que eu amo isso daqui.

Como você pode saber exatamente o que se passa no sentido de que vivemos?

Profundidade eleva e uma série de outros fatores não é? Dependendo do contexto é até perigoso.

Beijos minha linda e ótima semana!

Will Lukazi disse...

Então Van, para nós que não somos à prova e nem projetados para as profundidades, preferimos nos manter aqui na superfície. Profundidade nos traz a idéia do desconhecido, da falta de ar e temos medo de tudo isso.

Na verdade, assim como é necessário muito treino pra se mergulhar num mar, lagoa ou oceano, é também necessário um certo preparo para se mergulhar nas profundezas do outro, este mistério solene.

É sabido que não podemos nos aprofundar demais nem em mares nem em pessoas: algumas idas não possuem voltas...é a síndrome do pânico.

Estou de volta, Van....

bjuuussss