"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



domingo, 24 de julho de 2011

"Domingo eu quero ver , o domingo passar..."

Domingo sempre foi um dia meio empacado , meio errado , meio torto. Acho que toda a magia da semana se perde em meio ao domingo... Talvez porque ele não me traga muito boas lembranças de épocas remotas. Passeando pelos textos dos Blogs da minha amiga Cris ela me fez relembrar muito de minha infância e outros tempos não tão distantes assim e são mais duras as minhas recordações sobre os domingos desses períodos.


Quando era criança , por volta dos meus 4 a 6 anos , morava com meus avós , porque meus pais moravam numa casa em que havia apenas um quarto , a sala pequena , a cozinha e o banheiro e eles já tinham meu irmão , à época com seus 13 a 15 anos que morava com eles e dormia no mesmo quarto. A casa era modesta mesmo , bem pequena e como eu era a menininha da casa , o "xodó" da família , morava mais tranquilamente com meus avós que dispunham de uma casa maior , e eu dormia com minha tia num quartinho da casa... Não , antes disso dormi no quarto dos meus avós , quando bem pequena , no berço , depois passei ao quarto da minha tia que , assim como minha avó , cuidou de minha criação e me ensinou muitas coisas. Enfim , todo final de semana eu ia para a casa dos meus pais na sexta-feira e ficava com eles até o domingo , em que voltava para a casa de meus avós.


Embora fosse muito bem cuidada por eles e os amasse , queria desfrutar mais da companhia de meus pais , mas isso foi algo que só pude fazer quando estava já com meus 11 anos , quando a casa ficou maior e meu pai tinha mais condições de me trazer para perto deles. Eu curtia esse período na casa dos meus avós , pois eles sempre me deram muita atenção , me ensinavam a ler e a escrever , participavam das minhas loucas brincadeiras , mas meus amigos moravam na rua dos meus pais e só aos finais de semana podíamos brincar e desfrutar das peripécias da infância...


O tempo passou , eu cresci e ao começar a namorar o domingo sempre era um dia chato , porque eu iria ficar a semana inteira sem encontrar com o namorado , que trabalhava , assim como eu , e nossos namoros eram resumidos a sexta à noite e aos sábados e domingos até o final das tardes! Quando conheci esse meu namorado , que hoje é meu marido e mora comigo (graças a Deus...rsrsrs) ele morava distante de minha casa e não tinha carro e eu , à época morava sozinha , então ele vinha pra casa na sexta , mas ia embora no DOMINGO...sempre o domingo no meio do caminho.


Hoje o domingo é só o dia que antecede a segunda-feira , mas mesmo assim ele é um dia muito estranho para mim. Me traz recordações do meu pai , que após os jogos de futebol no fim da tarde , saía para comprar pão para tomarmos café , algumas vezes meus primos estavam em casa e partilhavam desse nosso lanche e isso me traz saudades da casa em que morava , desse período , da vida que eu tinha. Quero que , muito em breve , o domingo anteceda as segundas-feiras em que estarei trabalhando , enfim , em que possa fazer jus aos meus esforços de hoje , pois o domingo é mais um dia em que complemento os estudos. Enquanto isso não acontece quero apenas que o domingo passe e o futuro em breve chegue...mas chegue logo. Até o próximo domingo !

2 comentários:

Nina Pilar disse...

o domingo não tem erro, não tem avesso, tem preguiça, tem pipoca. guaraná, filme
e amigos esperando como nós o passar das horas...gostei do texto.

bjinhos

C. disse...

Van, eu já tive ojeriza dos domingos, hoje nao tenho mais.
Nao sou Madre Teresa de Calcutá (nem quero ser) mas procuro ver o lado bom do domingo. E eu que adoro "começos", tentei inverter que domingo é o começo de tudo e ele pode prometer muita coisa... uma resposta que esperamos faz tempo, seja no trabalho ou vida pessoal, por exemplo. Lembrei que espero a resposta pra um "projeto" (odeio essa palavra porque normalmente projetas as coisas tá num limiar distante) e o tempo passou a ser importante, nesse sentido.
Enfim, sao nossos olhos e nosso coracao que delimitam o bom e o ruim das coisas. Era aqui que queria chegar.

Abraco grande de cá!