"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



sexta-feira, 22 de julho de 2011

Nós , essas pessoas e os nossos erros...

Sempre me pergunto  o que nós todos , eu principalmente , temos aprendido ou compartilhado com as pessoas que nos cercam. São infinitas coisas , multicoisas , milhares , que se multiplicam e mudam a cada momento , a cada segundo... Aprender é algo que o ser humano carrega em sua vida até chegar ao túmulo , porque nos mínimos gestos , nas mínimas sensações , nos mínimos fatos sempre aprendemos algo com o outro. E foi para isso que fomos colocados em sociedade , para o aprendizado.

E esse aprender pode ser bom e fácil , quando se trata de compartilhar sentimentos de amizade , de amor , de cumplicidade , de afinidade , de verdade , de solidariedade , de respeito mútuo. Podemos aprender , através da dor do outro , que a nossa dor não é nada , que o nosso desespero é ilusório porque há alguém ali que chora mais profundamente porque sua família passa por dificuldades , porque alguém a quem ele estima está muito doente e não será curado , porque ele perdeu o emprego e sua família está desprovida desde então... Aprendemos , quando nos colocamos no lugar do outro e vemos com os seus olhos o problema , vemos as dificuldades dele , sentimos as suas tristezas , nos comovemos com sua realidade cruel e que precisa muito mais que de ajuda , precisa ser modificada radicalmente.


Mas há também um aprender difícil , mais difícil ainda que esse advindo da compaixão , que é um aprender pela dor , pelo próprio sofrimento , pela angústia e pelas arestas da própria vida que precisam ser aparadas , que precisam ser renovadas. Há um aprender difícil quando nos decepcionamos com as outras pessoas , um aprender difícil quando depositamos muita expectativa em alguém e essa pessoa nos demonstra ser alguém que realmente não conhecíamos , alguém muito diferente daquele em quem acreditávamos que fosse... E há um aprender também que acontece quando somos nós quem decepcionamos o outro , por não atendermos às expectativas dele em relação a nós , por nos transformarmos em algoz. Nesse aprender nosso e do outro é preciso lembrar que em ambos reside a imperfeição e que atire a primeira pedra aquele que nunca errou , que nunca enganou ou que foi enganado.

Nas relações humanas a imperfeição é o detalhe , porque , se fôssemos todos seres perfeitos não haveria o porquê de estarmos aqui , não haveria o porquê de termos sido criados em meio a essa grande escola de lições intermináveis determinada pelos nossos relacionamentos pessoais. Se estamos aqui , juntos , unidos em meio a essa sociedade é para que aprendamos a nos relacionar , é para que aprendamos com nossos próprios erros , porque , antes de mais nada , é preciso sabermos enxergar os nossos próprios erros , pois todos nós , sem exceção alguma temos.


E não devemos cobrar do outro nada. Não devemos cobrar do outro entendimento , não devemos cobrar do outro compreensão , não devemos cobrar do outro resignação , não devemos cobrar do outro compaixão porque sempre erramos. E também não devemos esperar do outro nada , muito menos ajuda ou sequer o perdão , pois cada um agirá de acordo com o que vai em seu coração : se há ódio e rancor é o que continuará havendo , se há luz e perdão será o que virá a tona. Em maior ou menor grau , dependendo da posição em que nos encontramos esse é o fato , somos suscetíveis e erramos na grande maioria das vezes. E sabermos reconhecer nossos erros , nos perdoarmos diante da nossa falta e também perdoarmos aquele que nos ofendeu por algum motivo alguma vez é necessário e é nobre mas não é nada fácil.

O perdão é algo que transcende e para obtê-lo é preciso primeiramente saber perdoar a si mesmo olhando para dentro e reconhecendo as próprias falhas. Não somos perfeitos e quem sabe um dia , ainda muito adiante , possamos ser... Mas só seremos realmente , quando soubermos perdoar a nós , diante das falhas do outro e quando soubermos perdoar ao outro , diante das nossas falhas. O perdão é um exercício de ida e volta e é só isso que é capaz de modificar , de forma plena e profunda , nossa essência e as nossas relações tão humanas. Ao afirmarmos que já aprendemos e que tudo já sabemos , já estamos errando na falta de humildade... Nós somos ainda tão pequenos , insignificantes mesmo , diante da grandiosidade de Deus...

Um comentário:

C. disse...

Você tá se superando na mensagem dos teus posts, tô boquiaberta aqui, minha querida Van Medeiros :) (a Martha que é Medeiros).
Tao bonito tua alma, o que vai nela... e em pensar que tudo é fruto de todas as vezes que perdoou... que renunciou... já pensou nisso?
O perdão, além de tudo, faz da pessoa uma escritora de primeira linha!!!!!
Eu nao entrei nos detalhes do contexto em si, porque você fez brilhantemente e seria repetitivo, eu assino embaixo, simplesmente.

E você acertou quando disse num coment que eu andava saudosa da infância. Acho que a medida que a gente vai se sintonizando nos blogs, vai sentindo até o que se passa no emocional do outro, respeitando, claro, a arte de escrever que por vezes nos faz ser tantas, tantas vezes.