"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



quinta-feira, 28 de julho de 2011

"A vida vem em ondas como um mar..."

Quem é que controla a vida ? Os sentidos ? Os momentos ? Numa hora estamos bem , reunidos , todos saudáveis e no mesmo instante estamos numa sala de espera de um hospital , aguardando a recuperação de um ente querido nosso que entrou para ser atendido no pronto socorro por estar sentindo dores na região abdominal...


Como diz Lulu em sua letra eterna de "Como uma onda" : "a vida vem em ondas como um mar , num indo e vindo infinito. Tudo o que se vê não é , de novo do jeito que já foi um dia. Tudo muda o tempo todo no mundo..." e por aí vai... Essa música é uma das preferidas de minha mãe e por isso a coloco aqui , porque ontem estive com ela no hospital e hoje ela , graças a Deus está em casa , mas está aguardando pela consulta com o gastroenterologista (ai que palavrão!) amanhã pela manhã , em que vamos levar os resultados dos exames de emergência emitidos ontem para sabermos o que há na real com ela. Me sinto extremamente impotente diante dessas situações , porque nem mesmo tendo plano de saúde me conforto , porque nos tornamos vulneráveis diante da falta de saúde de quem amamos. É um desconforto , é um incômodo , é um querer recobrar toda a saúde no tapa para ficarmos todos bem novamente... Minha mãe é uma pessoa rara e muito cara para mim , sempre foi e é , por isso essa apreensão toda , esse desassossego infinito.


A vida causa uma interrupção em tudo nesses momentos e todos os nossos outros problemas ou pseudo problemas tornam-se ínfimos , tornam-se nada diante de cada expectativa gerada pelo momento anterior... O médico queria mantê-la ontem em observação no hospital , mas ela não quis , estava se sentindo melhor e preferiu vir para casa. Teimosa. Amanhã irei com ela ao médico para compartilharmos juntas do que quer que ele diga e tomara que ele não diga nada demais , que a coisa seja simples , assim desejo e assim torço para que seja e que ela continue como sempre é , aqui , forte e presente , compartilhando conosco da vida e dos muitos momentos que ainda virão. Que assim seja !

3 comentários:

Lena disse...

Minha linda,
Estarei "fora do ar" até dia 1º de agosto, quando virei com novidades na coluna da direita, uma vez que é virada de mês. Me aguardem! Eventualmente, se for possível,postarei alguma texto interessante, mas as idas aos blogs de meus queridos amigos, só terei condicões para fazê-las na segunda-feira. Beijos e até a volta!!!

Maria Gabriela disse...

"Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia..."

C. disse...

Momento difícil... e como você disse, parece que paralisa todos os outros.
Faco uma brincadeira idiota, às vezes, dizendo que gracas a Deus já passei pela morte dos meus pais e me encontro aqui ainda, porque vou te dizer, nao é mole.
Melhoras e tudo de bom no resultado dos exames!