"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



sábado, 13 de agosto de 2011

Mania de importância !

Temos , uma maneira muito peculiar de acreditarmos que quando as outras pessoas se referem a certos assuntos , quer sejam eles bons ou maus , essas pessoas estão se referindo a nós em suas palavras , em seus textos , em seus discursos ou pensaram em nós em certo momento ao elaborarem tal ou qual contexto. É a chamada "carapuça" que vestimos e que nos serve "perfeitamente" dentro da nossa pretensão por acreditarmos que , sim , o que foi colocado ali naquele exato momento era para nós.


Mas uma vez ouvi o Luiz Gasparetto dizendo que isso se chama excesso de importância , ou seja , nos qualificamos e digo nos , porque também frequentemente me incluo nesse rol , de achar que as pessoas pensam em nós , nos dão importância , ou somos seres tão relevantes querendo até mesmo nos achar na qualidade de semideuses , de "reis da cocada" e nos incluir nos fatos e atos diários da maioria das pessoas que conhecemos.


A realidade é que não é assim que a coisa funciona. Não temos tanta e , muitas vezes , nenhuma importância para o outro. Ele não pensa em nós , ele não fala de nós , ele não se referiu a nós naquele comentário proliferado , ele sequer lembra-se que nós existimos ou chegamos a cruzar sua existência e nos dá a mínima ou nenhuma importância. Mas descobrir isso , muitas vezes dói , magoa , fere o nosso excesso de prepotência , a nossa magnanimidade , a nossa total relevância como pessoas especiais que achamos que somos (e acreditamos nisso em nossa maior ingenuidade)... Isso fere porque nos deixa de cara com a nossa insignificância (sim , por vezes ela existe , sim!!) - Oh ! que dó !


Portanto , o melhor que temos a fazer é nos fechar em nossa insignificância e levar a vida adiante. Não somos importantes para os outros ao ponto de nossa onisciência e onipresença. Não somos a última bolachinha do pacote. Somos sim , importantes , mas na medida de nossa realidade , para nós mesmos , no que diz respeito a nossa vida , aos nossos gestos , às nossas atitudes. E não devemos fazer biquinho ou nos magoarmos por isso. Não ser importante para alguém não é defeito , é questão de livre arbítrio. Vamos descer do salto , vamos... O mundo não gira em torno de nós , muito menos do nosso umbiguinho...hahaha...



P.S : Já tá achando que escrevi esse post para você ? Quanta pretensão...tsc tsc tsc

2 comentários:

C. disse...

Bom dia, Van-zinha!

eu sei que agora você tá dormindo (aí é ainda 4hs da manha), e que logo mais irá fazer tuas provas, entao desejo boa sorte, que você vá bem, viu!

Sobre o texto, tirando toda minha carapuça (auhauahau) vou te dizer que faz muito tempo entao deixei de me sentir importante, porque quando leio qualquer coisa, nao penso é pra mim. Tudo bem que meu ego é um lixo, sempre se acha, mas taí algo que nao faco mais, principalmente em blog. Partindo do principio de quando eu escrevo as coisas, eu nunca penso em alguém, particularmente, sem contar às (muitas) vezes que "viajo" e brinco apenas com personagens internos, fantasiando.
Acho quem usa de escrever mandando recados sao aquelas pessoas que adoram alfinetar, nao sabem conversar, e eu odeio isso. Deixei de "mandar recado" há muito tempo, quando quero falo diretamente mesmo, pra pessoa nao só achar, mas ter a certeza é pra ela.

É muita pretensao achar que uma pessoa pensou em você pra escrever isso ou aquilo, convenhamos. Mas você está certíssima, muita gente pensa foi pra ela sim, e dependendo do estado de espírito da pessoa, ela nunca mais volta a falar contigo. Palavras podem ser cortantes também, e muito!

Muitos smacks pra você, e é vero, a gente vai se entregando auhauahauahauah (respondendo ao teu coment)

Lena disse...

Van
Muita verdade nesse seu texto. É muito infantil ou, no mínimo, inadequada, essa mania de se dar tanta importância,achando que tudo que é escrito, comentado, dito , é dirigido pra nós. Penso que pessoas que têm essa mania(graças a Deus hoje sou mais tranquila nesse aspecto)necessita de um pouco mais de humildade, ou de mais autoestima. Acho que o problema se resolve nessas duas pontas!
Bjs, pessoa querida e uma ótima semana.