"Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado...e nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo : não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades... Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores...mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos !" - Vinicius de Moraes



terça-feira, 2 de setembro de 2014

E porquê eu escrevo...

Escrever é parte de mim. Assim como ler. Escrever é a minha respiração voltada para o mundo ao meu redor. Me escrevo e me descrevo a partir daquilo que as palavras transmitem. Quando o dia não tem sol ou se plantam nuvens em meu coração, escrevo para melhorar. Quando a vida está complexa correndo ao lado e nem eu mesma faço qualquer sentido, escrevo para ter noção de mundo, escrevo para observar e contemplar, escrevo para entender e organizar toda a série de sentidos que se movimenta aqui dentro. 


O exercício frutífero dessa escrita que brota faz com que meu olhar seja condensado no entendimento e na espera. Porque tudo o que passa ao meu filtro do crivo da escrita, sempre melhora. Melhora porque muda. Muda no sentido de emudecer, porque escrever, te obriga a pensar no que é dito, te obriga a organizar o parágrafo, te obriga a fazer com que quem está lendo entenda o seu ponto de vista. Te obriga a refazer, riscar ou realinhar o que tinha sido dito, justamente para que seja entendido. 


Então, é a partir desse exercício, de entrega e de escrita, que a vida melhora. Melhora porque muda, daí no sentido de mudar e não ser mais só um ingrediente do meu interior: é o meu lado de dentro colocado para o lado de fora, para que o outro veja. Escrever é se relacionar didaticamente com o outro e é compartilhar uma vida, ainda que dela, se entenda pouco. Escrever é um ato de solidariedade, quando você parte do princípio de descrever e imaginar aquilo que está contando para o outro e se multipliquem as ideias de ambos. O seu mundo interior se choca com o mundo de vários mundos e um universo se cria. Nasce uma imensidão de sentidos de uma mesma coisa ou esvaziam-se ideias antigas, que são repostas por novas. 


Escrever é fluir, no sentido de reativar as marés. Escrever é palco para a tristeza virar poesia. Escrever é luz para a canção daquele dia, que fica mais bonito, porque a prosa fica rica, há um tempo para um cafezinho e ali, desfrutar da ideia de alguém, que de repente te traz uma visão diferente, que de repente expande o seu inconsciente e faz o mundo acontecer de forma melhor. Eu escrevo desde que me conheço por gente e, agora ainda mais, porque já ultrapassou todo sentido de necessidade. Escrever me dá prazer e me dá vontade, de usufruir da vida sempre um pouco mais. 


5 comentários:

Zélia Gadelha disse...

Van querida!
Ler também é parte de mim.
Tirando um tempinho pra visitar os blogs dos amigos. Adoro seus escritos! Beijos!

Van disse...

Zélia, querida ! Saudades de você. Eu também preciso visitar os blogs dos amigos :) Beijos e passe sempre por aqui !

Rosane disse...

Minha amiga querida, é uma honra ter você ao meu lado. Te adoro, de vdd. Beijos no coração!

Jason Jr. disse...

Estou levando tuas palavrinhas para passearem no meu cantinho/céuzinho Van!

http://jasonjrcajazeir.blogspot.com.br/2014/09/passeandando-por-ai-lxxxix.html

Obs.: os créditos ficam em nome de Van pois não havia perfil...

Van disse...

Jason Jr. é uma honra fazer parte do seu cantinho, meu querido ! Obrigada por espalhar minhas palavras singelas por aí... Beijos !